Quer receber nossos conteúdos? Assine nossa newsletter
Por Redação - 3 de Julho de 2024

O Imposto de Exportação (IE) é um tributo aplicado pelo governo federal sobre os produtos vendidos para fora do Brasil. Porém, para trabalhar com exportação de mercadoria, é essencial que você saiba também como esse imposto funciona, por que ele é cobrado, sobre quais produtos ele incide e outros detalhes. A seguir, vamos falar sobre todos esses pontos. Confira! 

O que é e como funciona o Imposto de Exportação?

O IE, como já adiantamos, é um imposto cobrado sobre a venda de mercadoria para o exterior. Este imposto tem como objetivo regular o comércio exterior, proteger o mercado interno e gerar receita para o governo. No Brasil, o Imposto de Exportação é de competência da União.

O valor do IE é calculado considerando o preço normal que a mercadoria teria em uma venda no livre mercado internacional. Já a alíquota, hoje, é de 30%, podendo ser aumentada ou reduzida pela Câmara de Comércio Exterior, não podendo ultrapassar 150%.

Imposto de Exportação x Imposto de Importação

Enquanto o Imposto de Exportação foca na saída de produtos do território nacional, o Imposto de Importação (II) incide sobre a entrada de mercadorias estrangeiras no país. Ambos os impostos têm como objetivo regular o comércio exterior, mas as suas finalidades específicas podem divergir. Por exemplo, o Imposto de Importação visa a proteger a indústria nacional da concorrência externa, enquanto o Imposto de Exportação pode ser utilizado para controlar a saída de bens estratégicos e garantir o abastecimento interno.

Produtos sujeitos a Imposto de Exportação

Todos os produtos nacionais ou nacionalizados estão sujeitos ao Imposto de Exportação. Porém, existem casos nos quais há a isenção ou a incidência de alíquota zero. O IE é exigido dos seguintes tipos de mercadoria:

  • Armas e munições: alíquota de 150%;
  • Castanha de caju com casca: caso a exportação seja de mais de 10 mil toneladas, a alíquota é de 30%;
  • Concentrados de açúcar, leite e creme de leite: alíquota de 100%;
  • Cigarros contendo tabaco e fumo: alíquota de 150%;
  • Peles em bruto de bovino ou de equídeo: alíquota de 9%.

Além dessas, outras mercadorias que também estão sujeitas ao IE são: petróleo, automóveis, eletrônicos e produtos agrícolas. Já mercadorias consideradas essenciais para o desenvolvimento econômico, social, científico e tecnológico podem ser isentas para incentivar a competitividade no mercado global. Assim como produtos de uso pessoal e para consumo doméstico, para assistências técnica e científica e para fins de defesa nacional.

Finalidades do Imposto de Exportação

O Imposto de Exportação tem um papel muito importante na política econômica de qualquer país. No Brasil, ele é utilizado como uma ferramenta estratégica para alcançar objetivos econômicos e sociais, por isso, entender o propósito deste imposto é essencial para compreender a sua importância. A seguir, vamos explorar as principais finalidades do IE e como ele contribui para o desenvolvimento econômico do país.

Regulação do comércio exterior

Uma das principais finalidades do Imposto de Exportação é a regulação do comércio exterior. Ao ajustar as alíquotas, o governo pode incentivar ou desincentivar a exportação de determinados produtos. Este mecanismo é utilizado para equilibrar a balança comercial e fomentar setores estratégicos da economia.

Além disso, o governo pode utilizar o Imposto de Exportação como uma ferramenta de política econômica para responder a condições externas, como flutuações nas taxas de câmbio, nos preços internacionais de commodities ou barreiras comerciais impostas por outros países.

Proteção do mercado interno

Outra finalidade do IE é a proteção do mercado interno. Ao impor tarifas sobre determinados produtos, o governo pode evitar a escassez no mercado interno e garantir o abastecimento para a população do país. Esta medida é particularmente relevante em situações de crise ou de alta demanda por produtos específicos.

Por exemplo, em um período de escassez de alimentos, o governo pode aumentar o Imposto de Exportação sobre produtos agrícolas para garantir que a produção nacional seja prioritariamente destinada ao mercado interno.

Arrecadação de receita

O Imposto de Exportação também serve como uma fonte de arrecadação de receita para o governo e, dessa forma, os valores arrecadados podem ser utilizados para financiar programas e projetos de desenvolvimento econômico e social.

Principais características do Imposto de Exportação

É necessário conhecer algumas das principais características do Imposto de Exportação para compreender a sua aplicação e impacto. Confira informações mais detalhadas sobre a incidência, a base de cálculo e a alíquota do IE e tenha uma visão clara de como este tributo funciona na prática.

Incidência

O Imposto de Exportação incide, como já falamos, sobre a saída de produtos do território nacional. Todos os bens que são enviados para o exterior podem estar sujeitos a este imposto, exceto aqueles que são explicitamente isentos pela legislação. Entretanto, mesmo os produtos que são sujeitos à incidência do IE podem ter a alíquota zerada ou mesmo obter isenção.

Base de cálculo

A base de cálculo do Imposto de Exportação é o valor da mercadoria no momento da exportação. Este valor pode incluir custos adicionais, como transporte e seguros, dependendo das condições de venda acordadas entre o exportador e o importador.

Para determinar a base de cálculo de forma precisa, é essencial que os exportadores mantenham registros detalhados das transações e estejam familiarizados com as normas de valoração aduaneira. A Receita Federal do Brasil é a autoridade responsável por fiscalizar e verificar a correta aplicação dessas regras.

Alíquota

A alíquota do IE varia conforme o tipo de produto e as políticas econômicas adotadas pelo governo. Em alguns casos, como já foi dito, a alíquota pode ser reduzida ou até mesmo zerada, incentivando a exportação de determinados bens. Por outro lado, produtos considerados estratégicos ou essenciais podem ter alíquotas mais elevadas para proteger o mercado interno.

Por exemplo, a alíquota do Imposto de Exportação sobre minérios pode ser elevada para garantir que a exploração dos recursos naturais beneficie o desenvolvimento econômico nacional. Já produtos com alto valor agregado, como eletrônicos ou medicamentos, podem ter alíquotas reduzidas para incentivar sua exportação e aumentar a competitividade das indústrias brasileiras no mercado internacional.

Como você pôde perceber, o Imposto de Exportação é uma ferramenta importante para a política econômica do Brasil. A aplicação correta dessa tarifa garante a competitividade dos produtos brasileiros no mercado internacional, protege os interesses nacionais e contribui para o desenvolvimento sustentável do país.

Agora que você já conheceu melhor o IE, que tal continuar aprofundando os seus conhecimentos sobre outros tópicos? Entenda qual é papel do câmbio comercial na economia global. E conte também com a nossa equipe que é expert em comércio exterior! Visite o site da Advanced Corretora e entre em contato conosco.

Deixe seu comentário

Posts Relacionados

Hedge cambial: Você sabe o que é?

O hedge cambial é uma operação que realizamos para proteger os investimentos e as transações comerciais da volatilidade das moedas estrangeiras. Entenda!

Por Redação - 22 de Julho de 2024

Invoice: você sabe o que é isso?

Descubra como emitir corretamente uma Invoice para transações internacionais, essencial para formalizar e registrar compras e vendas globalmente.

Por Redação - 18 de Julho de 2024

Entenda como funciona o Swift e o passo a passo de uma transferência internacional

Entenda aqui o que é SWIFT, como ele funciona e o passo a passo para fazer uma transferência internacional.

Por Adilson Chaves e Weslley Queiroz - 17 de Julho de 2024

Qual a diferença de câmbio turismo e câmbio comercial?

Qual é a diferença entre o câmbio turismo e o câmbio comercial, e por que existem tantas flutuações diárias no mercado de câmbio? Hoje nós vamos entender!

Por Redação - 15 de Julho de 2024

Posts Mais Lidos no Blog Advanced

Você realmente conhece o dólar americano?

Apesar de ser uma moeda de grande circulação e a estrela do mercado financeiro, você saberia reconhecer as diferenças das cédulas de dólar? Confira neste artigo e descubra!

Por Redação - 10 de Julho de 2023

Contrato de câmbio, DI e DUE, Swift e DARF: qual a função de cada um?

Confira neste artigo e saiba tudo sobre o contrato de câmbio e demais documentos essenciais para as operações cambiais!

Por Redação - 26 de Junho de 2023

Intercâmbio nos EUA: saiba como fazer a comprovação financeira

Quer saber tudo sobre comprovação financeira? Confira este artigo e saiba como a Advanced pode te ajudar a garantir uma experiência de intercâmbio bem-sucedida nos EUA.

Por Redação - 29 de Maio de 2023