Quer receber nossos conteúdos? Assine nossa newsletter
Por Redação - 27 de Junho de 2024

Uma estratégia para quem busca novas opções de investimento para diversificar a carteira, proteger seu portfólio e garantir maior retorno é investir no exterior. Com o crescimento das oportunidades globais, é essencial compreender como aproveitar ao máximo as oportunidades de investimentos internacionais.

A seguir, vamos apresentar dicas práticas que vão ajudá-lo a fazer a diversificação dos seus investimentos internacionais. Confira e tome decisões informadas para investir no exterior!

1. Entenda os mercados internacionais

Tanto para iniciar essa jornada quanto para diversificar os investimentos internacionais, é indispensável que você conheça e entenda os mercados internacionais. Investir no exterior pode oferecer oportunidades únicas, mas exige um entendimento profundo das economias e tendências globais.

Estude sobre países reconhecidos por ter estruturas legais e financeiras sólidas, como os Estados Unidos, a Suíça e o Canadá. Procure saber também sobre economias que estão em ascensão, mercados promissores e identifique as melhores opções para o seu perfil de investidor.

2. Invista em diferentes classes de ativos

Ter uma carteira diversificada com diferentes classes de ativos é fundamental para equilibrar seu portfólio. Considere ações, títulos e commodities como formas de investimento internacional, assim você conseguirá preservar seu capital global e aumentar seu potencial de retorno. Cada classe de ativo reage de maneira distinta às mudanças econômicas, proporcionando uma camada extra de proteção e redução de riscos.

Uma possibilidade para quem ainda não se sente tão confortável em mercados estrangeiros é começar com opções de investimentos internacionais no Brasil. Os BDRs, ou Brazilian Depositary Receipts, são uma boa opção, já que são negociados em reais na Bolsa de Valores do Brasil.

3. Utilize ETFs e fundos de investimento

Os ETFs (Exchange Traded Funds) são outro tipo de investimento internacional no Brasil. São índices de ações estrangeiras negociados na B3 e é possível comprar cotas deles como se fossem ações.

Os fundos de investimento internacionais também são excelentes ferramentas para quem deseja diversificar com eficiência. Eles permitem que o investidor tenha acesso a mercados e setores variados, viabilizando investimentos em múltiplos ativos com um único produto. Além disso, eles são geridos por profissionais, facilitando o gerenciamento e a seleção dos investimentos.

4. Considere riscos cambiais

Ao pensar em como fazer investimentos internacionais e como diversificá-los, é essencial considerar os riscos cambiais. Flutuações na taxa de câmbio podem impactar significativamente o retorno dos seus investimentos, por isso é importante entender o papel do câmbio comercial na economia global e acompanhar os seus investimentos e notícias sobre a economia do Brasil, do(s) outro(s) país(es) onde você investe e do mundo.

Uma boa dica é usar estratégias de hedging, como contratos futuros e swaps, para mitigar esses riscos e proteger sua carteira de possíveis perdas.

5. Diversifique geograficamente

Diversificar geograficamente é outra estratégia eficaz. Não concentre todos os seus investimentos em uma única região ou país. Ao espalhar os seus ativos por diferentes mercados, você reduz a exposição a riscos e imprevistos específicos de uma localidade, como crises econômicas ou políticas.

6. Acompanhe o desempenho dos investimentos

Como já mencionamos, monitorar regularmente o desempenho dos seus investimentos internacionais é essencial. Avalie periodicamente os resultados e entenda se e quais ajustes serão necessários para otimizar o retorno e minimizar os riscos. Use relatórios financeiros, acompanhe análises de mercado e consulte especialistas para tomar decisões acertadas.

7. Conheça as regras e regulamentações

Cada país tem suas próprias regras e regulamentações para investimentos internacionais. Você precisa conhecer essas leis para agir de acordo com elas, evitar penalidades e também problemas como dupla tributação. Pesquise sobre as exigências legais e tributárias dos países onde você deseja investir e considere buscar aconselhamento de especialistas para entender esses pontos mais complexos.

8. Considere custos e taxas

Custos e taxas, como custos de transação, taxas de administração, de corretagem, impostos e outros, podem impactar significativamente seus retornos. Avalie cuidadosamente essas taxas e custos associados aos seus investimentos internacionais e compare diferentes instituições financeiras e produtos para minimizar esses custos e maximizar os ganhos.

9. Consulte especialistas financeiros

Consultar especialistas financeiros, além de ajudar a navegar nesse mundo que pode, sim, ser complexo, também pode gerar insights valiosos para construir um portfólio internacional mais robusto. 

Profissionais experientes ajudam a identificar oportunidades que você talvez não enxergue sozinho, além de saberem avaliar riscos e desenvolver estratégias personalizadas de acordo com o seu perfil de investidor. Aproveite o conhecimento desses especialistas para tomar decisões mais informadas e seguras saiba mais aqui.

10. Adapte sua estratégia ao seu perfil de investidor

Agora vamos à última dica de como diversificar investimentos internacionais: cada investidor tem um perfil único, que deve ser considerado também, claro, ao elaborar uma estratégia de investimentos internacionais. Avalie sua tolerância a riscos e seus objetivos financeiros para adaptar suas escolhas de ativos e mercados. Dessa forma, seu portfólio estará alinhado com suas necessidades e expectativas.

Investir no exterior pode parecer desafiador, mas, com as estratégias certas, você pode construir uma carteira diversificada e forte. Veja mais informações sobre câmbio e investimentos internacionais no nosso blog!

Deixe seu comentário

Posts Relacionados

Hedge cambial: Você sabe o que é?

O hedge cambial é uma operação que realizamos para proteger os investimentos e as transações comerciais da volatilidade das moedas estrangeiras. Entenda!

Por Redação - 22 de Julho de 2024

Invoice: você sabe o que é isso?

Descubra como emitir corretamente uma Invoice para transações internacionais, essencial para formalizar e registrar compras e vendas globalmente.

Por Redação - 18 de Julho de 2024

Entenda como funciona o Swift e o passo a passo de uma transferência internacional

Entenda aqui o que é SWIFT, como ele funciona e o passo a passo para fazer uma transferência internacional.

Por Adilson Chaves e Weslley Queiroz - 17 de Julho de 2024

Qual a diferença de câmbio turismo e câmbio comercial?

Qual é a diferença entre o câmbio turismo e o câmbio comercial, e por que existem tantas flutuações diárias no mercado de câmbio? Hoje nós vamos entender!

Por Redação - 15 de Julho de 2024

Posts Mais Lidos no Blog Advanced

Você realmente conhece o dólar americano?

Apesar de ser uma moeda de grande circulação e a estrela do mercado financeiro, você saberia reconhecer as diferenças das cédulas de dólar? Confira neste artigo e descubra!

Por Redação - 10 de Julho de 2023

Contrato de câmbio, DI e DUE, Swift e DARF: qual a função de cada um?

Confira neste artigo e saiba tudo sobre o contrato de câmbio e demais documentos essenciais para as operações cambiais!

Por Redação - 26 de Junho de 2023

Intercâmbio nos EUA: saiba como fazer a comprovação financeira

Quer saber tudo sobre comprovação financeira? Confira este artigo e saiba como a Advanced pode te ajudar a garantir uma experiência de intercâmbio bem-sucedida nos EUA.

Por Redação - 29 de Maio de 2023